Hoje falarei brevemente sobre os ásanas.

Ásana significa “posição”, ou literalmente, “sentar”. É uma posição física ou psicofísica que deve ser firme, porém agradável. Diz-se que há 84.000 ásanas conhecidos, destes 84 são os mais importantes, 32 fundamentais e 7 elementais.

Um ásana perfeito traz a sensação de relaxamento absoluto, tanto físico quanto mental. Ele deve ser confortável, estável e estético (a estética traz a força dele). Os “pilares” para a execução dos ásanas são: respiração, esforço, permanência, repetição e mentalização.

1. Respiração: deve ser coordenada, consciênte, profunda e ritmada (sempre nasal). Eu não conheço todas as regras, mas uma que acho que vale a pena partilhar é que movimentos para cima são realizados com os pulmões cheios e movimentos para baixo com os pulmões vazios.

2. Esforço: os movimentos para a execução (fazer ou desfazer as posições) dos ásanas devem ser lentos e controlados. Aqui vale lembrar do fator que eu gosto de me lembrar sempre: humildade. Não tente fazer algo além da sua capacidade. Com a prática os esforços vão mudando… tenha paciência. Yoga é uma jornada muito agrádavel (e acho que infinita), para que correr?

3. Permanência: deve-se permanecer o máximo posível na posição para cada lado, prestando atenção na respiração e no esforço tido. Isso vai variar também com a prática. Uma experiência que já tive (estou voltando ao yoga recentemente) foi a de evoluir incrivelmente na execução dos asanas e algo que percebi é que eu ficava muito tempo em várias posições, inclusive aquelas que exigem muito esforço, e eu simplemente adorava. É mágico, gente… recomendo! Entretanto, acho correto mencionar, que há quem diga que deva-se permanecer uma respiração pausada completa. Aí acho que vai de cada um. Não posso afirmar nada sobre isso por enquanto.

4. Repetição: li em várias fontes, então, espero não estar falando burrada. Ao que parece no yoga não se realiza repetição dos ásanas. Realiza-se a posição uma vez para cada lado e segue-se adiante. Então, coloquem sua intenção, amor e os melhores pensamentos em cada ásana que for praticar. Veja a consciência crescendo em você.

5. Mentalização: dizem que devemos mentalizar saúde e cores positivas na parte do corpo que esteja precisando. Inclusive mentalizar as metas… o domínio do ásana, paz interior, etc. É importante evitar divagação mental, mas quando a coisa flui direitinho você verá que ela some naturalmente. Claro, há dias que não tem jeito, mas no geral é simples.

Eu estou tentando fazer sempre de manhã antes de sair para o laboratório, mas nem sempre dá. Como é o caso hoje. Entretanto, criei um hábito bem saudável e que me ajuda a me centrar para o exercício. De manhã eu tomo uma xícara de chá bem vagarosamente, para ajudar meu corpo a despertar. Então arrumo minha cama, troco a roupa, estendo meu tapetinho no quarto, coloco uma musiquinha e pronto: meu momento no paraíso. É interessante observar a evolução a cada dia ou semana.

Importante:
– Nunca executar os ásanas de estômago cheio. No máximo uma fruta uma ou duas horas antes ou um chá ou copo de água (não gelada) como mencionado.
– O ideal é praticar sempre ao amanhecer. Quando não for possível ao anoitecer… hehe, acho que me dei mal nessa hj… rs
– O ásana virá aos poucos e naturalmente. Nada de sair forçando como um louco ou fazendo força para ter resultados mais rápidos. Yoga não é alongamento, nem exercício. Respeite os seus limites e SEJA HUMILDE!
– A respiração deve ser controlada e deve ser sempre pelas narinas. Os benefícios dos asanas aumentam se for praticado o pranayama simultaneamente, mas como não conheço muito de pranayama ainda, fico devendo, hehe.
– A atmosfera para a prática deve ser limpa, arejada e pacífica.


Fonte da imagem: artedevica.blogspot.com.br

Não está a melhor explicação do mundo, mas para o início acho que dá.

Boas vibrações para todos!

Namaste

Anúncios