Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Bom dia para todos!

Bem, enquanto eu aguardo os meus materiais ficarem estéreis para o trabalho com minhas queridas células, resolvi postar algo que considero incrivelmente importante na minha vida: energia e seus diferentes tipos de vibração. O título do post é “Read between the lines. No words, just vibrations”, que significa “leia nas entrelinhas, sem palavras, apenas vibrações”.

Sabe quando você se encontra num local lotado de pessoas ansiosas e irritadas e, mesmo que você estivesse super tranquilo antes, você acabou ficando igual ou pior?

Já aconteceu de entrar num ambiente diferente e se sentir mal (triste, deprimido, tonto ou enjoado)? Ou o contrário?

Ou um exemplo simples, quando pegamos uma roupa emprestada de alguém e ao vestirmos, nos sentimos um pouco como a pessoa? Ou sentimos algo dela em nós?

Quando sua casa tem aquela faxina perfeita, já sentiu como o ar parece “mais leve”?

Ou quando depois de uma festa de crianças, todas as bolas são estouradas e após aquela barulheira toda vem uma sensação estranha? Talvez uma espécie de vazio?

Você pode não ter sentido tudo isso, mas se, por acaso, se identificou com uma delas você pode dizer que tem uma boa percepção de energia e seu estado vibracional. Energia é o que mantém as moléculas unidas, é que o calor que sentimos quando somos atingidos pela luz do sol, é basicamente tudo que está ao nosso redor porque tudo ao redor contém energia (em suas diferentes formas).

Ok, beleza, e por que eu considero isso tão importante? É bem simples, algumas pessoas são mais (e outras menos) sensíveis a energia e isso, acredite se quiser, afeta demais o dia a dia. Terei que ser um pouco mais pessoal para ver se consigo explicar melhor. Quando entro no meu quarto ao voltar do trabalho, por exemplo, eu sei exatamente como está a energia dele, dos móveis e objetos porque isso reflete diretamente no meu humor. Normalmente só eu entro ali, então,  teoricamente só minha energia fica ali. O problema é que sem percebermos podemos “carregar” energia da rua para casa. Seja pelos sapatos, seja por um esbarrão de alguém carregado, seja por alguém no metrô ou ônibus que gentilmente segurou sua bolsa ou casaco para você, seja do próprio ambiente que passou, etc. Tudo influencia… as vezes mais, as vezes menos. Tinha uma época que bastava eu entrar no meu quarto para ficar realmente deprimida.  Interessante é que não importava o que eu fizesse, depois de um ou dois dias eu voltava a ter aquela sensação desagradável. As coisas começaram a quebrar ao meu redor. Meu notebook pifou, um microondas do laboratório explodiu na minha mão (e eu só estava ajustando o horário), minha câmera novinha parou de funcionar, celular pifando, e os meus experimentos dando errado sem motivo aparente… De verdade, sem exagero. Minha mãe e colegas de trabalho confirmariam tranquilamente que não tem nenhum exagero ou mentira aqui. Óbvio que nessa época eu fiquei super deprimida e chateada, afinal, tudo estava dando incrivelmente errado ao meu redor e eu não conseguia elevar meu estado vibracional.

Foi mais ou menos por aí que acabei descobrindo novas formas de proteção às energias de estado vibracional incompatível às nossas (não usarei ruim, porque não acredito que energia seja boa ou ruim… ela só vibra de formas diferentes – tanto que se por acaso digo energia ruim, normalmente me refiro às de baixa vibração que sugam ou atrapalham tudo ao redor).

Vou deixar aqui o que eu faço sempre e que funciona para mim:

1) Para a própria energia – Manter o próprio estado de espírito ou energia as vezes requer trabalho, mas depois de um tempo de prática sempre fica mais fácil.

1.1 Meditação – acredite se quiser, FAZ TODA DIFERENÇA. Não sabe meditar? Posso deixar um post aqui sobre uns tipos de meditação super tranquilos de se fazer. Ou ainda, no youtube há vários tipos de meditação guiada (as melhores, infelizmente estão em inglês), arrume um local agradável para realizar sua meditação, fones de ouvido (se quiser se isolar mais dos ruidos da rua, vizinhos  e etc) e veja como você se sentirá mais centrado e tranquilo depois.

1.2 Yoga – não estou “puxando sardinha” para o lado do yoga não. Digo por experiência própria, porque vi o quanto melhorei energeticamente, emocionalmente, espiritualmente e fisicamente depois que começei a praticar. Você não precisa começar com tudo. Você pode me desafiar. Faça um mês de aula, mesmo que duas ou três vezes por semana e volte para me dizer se não está se sentindo melhor. Se yoga não for seu estilo, faça pilates, te garanto que você vai sair praticamente o Dalai Lama das aulas. Eu não faço porque é muito caro fazer 3 ou 5 vezes por semana e meus horários são bem complicados para isso. Então fico com minha yoga em casa e minhas corridas ocasionais (essas só consigo com a cabeça no lugar).

1.3 Escutar seus pensamentos como se fosse outra pessoa.  Veja se você realmente concorda com aquilo que está pensando porque normalmente os pensamentos tomam forma própria e acabamos indo no piloto automático. Acredito que é fundamental controlar o que se pensa as vezes. Se os pensamentos estiverem pesados demais, pessimistas demais, sacuda as idéias, veja que não é tão por esse lado e vire a mesa se necessário. Música é uma coisa que ajuda muito aqui, mas aí não vale escutar qualquer tipo de música. Tem que ser uma que te passe a melhor sensação do mundo. Aquela música que te passa plenitude, alegria, energia… afinal, por que não puxar um pouco de energia de músicas assim? Você pode rapidamente alterar seu baixo estado vibracional por um mais alto. Aí para manter, recomendo meditação, yoga e outras coisas que tentarei lembrar de colocar aqui. Hehe.

1.4. Chás… Não sei se é só comigo, mas chás tem o poder de fazer com que eu me sinta mais limpa, pura e leve. Dá-me uma sensação de “relaxa, que já está tudo dando certo”. É quase um abraço num copo, hehe.

1.5. Vigiar o que se come e perceber como você reage a isso. Dá mais trabalho e requer um pouco mais de consciência corporal, mas é isso mesmo. O que você come influencia diretamente em como você vai se sentir depois. Em “dias de batata” eu só como o que não devo e que sei que vai me deixar mais down, mas todo mundo tem seu dia de batata e eu sou humana, então em dias de batata não tem jeito. No geral, eu tento vigiar para não exagerar naquilo que sei que não vai me fazer bem. Um exemplo, chocolate. Eba, chocolate é delicioso, melhora o humor e lá lá lá… tá, se eu comer uma barra de chocolates não dou uma hora para eu estar me sentindo um lixo. Não de consciência pesada ou algo do tipo. Eu realmente fico me sentindo uma eca depois. O que era para dar energia, parece que me deixou pior. O exemplo não ajudou muito, mas vai de cada um.

1.6. Escute seu corpo. As vezes seu corpo dá sinais quase silênciosos de coisas que ele está precisando, mesmo que seja um mimo… pequenos detalhes as vezes fazem grandes diferenças.

1.7. Banho de cachoeira e natureza – Isso aqui é mais pessoal meu, mas é tiro e queda para eu ficar mais feliz e melhorar minhas energias. Natureza e frio fazem com que eu me sinta melhor aqui dentro. Não sei explicar bem…  Não que o mar não ajude, mas cachoeira para mim é especial justamente pela temperatura da água. Depois do choque inicial vem uma sensação de estar realmente viva e eu amo essa sensação. Quanto a natureza, eu nem preciso falar… ela faz parte de mim. Sem natureza e montanhas eu não sou ninguém.

1.8. Quebra de rotina – ajuda algumas pessoas. Você pode acabar conhecendo pessoas novas, ou fazendo algo diferente… pode ajudar.

1.9.  Com certeza tem mais coisas… mas coloquei as que eu mais uso e que sei que ajudam… para algumas pessoas um novo hobbie pode ajudar, para outras ler mais livros, para outras sair mais de casa… enfim…. a própria energia é algo muito pessoal então somente a própria pessoa vai saber o que ajuda ou não. Depois de tentar, claro… muitas vezes temos muita resistência em fazermos algo bom para nós mesmo. Não caiam nesse tipo de coisa. Força contra isso, sempre!

2) Para a energia do ambiente – Para a energia do ambiente é um pouco mais fácil. Eu já usei incensos, velas, blocos de cânfora nos cantos da casa, mas nada dava um efeito duradouro. O que funcionou foi algo que aprendi recentemente: sal. Sim, sal de cozinha mesmo, não precisa ser o sal grosso. O sal é um neutralizador de energias. Então, ele faz exatamente isso, neutraliza as energias (sejam elas “boas” ou “ruins”). Obviamente, você só vai usar quando sentir que o ambiente está carregado de energias não compatíveis com a sua. O que eu faço é salpicar pitadinhas de sal (não precisa exagerar) pela casa antes de sair para o trabalho (o sal deve ficar por 5-7 horas pelo menos para neutralizar bem). Coloco nas estantes, chão, cama, onde der na telha, rs.  Na volta, faço uma faxina normal e vou batendo (literalmente) com as mãos nos móveis e objetos (como sofá, almofadas, tapetes, travesseiros, por exemplo) para quebrar ou soltar qualquer energia que possa estar estagnada ali. Prontinho… faz toda a diferença do mundo. As vezes eu ainda tenho medo de entrar no meu quarto e ficar depre, mas tem acontecido o contrário. Atualmente eu chego exausta ou chateada e quando entro no meu quarto me dá uma paz danada. Não recomendo usar o sal quando o ambiente do seu lar estiver 100% high vibrations, você não vai querer perder isso, vai?

Dica1 – Se sua casa for velha e tiver tido outros  moradores antes de você, passe um pano com água e sal nas paredes, portas e soleiras das portas (fui redundante? rs). Deixe secar.

Dica2 – Coloque uma colherzinha de café de sal na máquina de lavar quando for bater as roupas. Isso vai deixá-las com aquela sensação gostosinha de roupa nova.

Eu queria levar o assunto mais adiante para o contato com as pessoas, o que dá para ler na energia delas, intuição e etc… mas já está na minha hora de começar o experimento, hehe.

Enfim, espero ter ajudado com alguma coisa.

Ótimas vibrações para todos,

Namaste

Anúncios