Detox para um reboot dos maus hábitos entre outros fatores – um recomeço (Parte 1:2)

Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Saudações galerinha!

Eu fiquei um bom tempo sem aparecer no blog, mas voltei nos últimos tempos com algumas receitinhas deliciosas (algumas ainda não testadas; por enquanto, hehe). Sei que fiquei desmotivada e sem tempo para o blog por um tempo, mas eu sinto falta de postar, de cozinhar, de me curtir e de curtir a vida como eu mesma. Resumindo muito para vocês (pq o objetivo não é o desabafo) eu tive muitos altos e baixos nos últimos anos e quando finalmente me encontrei e fiquei feliz comigo mesma e me senti plena com a minha vida, me mudei para a Alemanha e perdi tudo. Semana após semana, com tantas notícias ruins e tudo dando errado e sem pessoas com quem eu realmente me conectasse, eu fui me perdendo e me afastando de mim. Eu sentia uma falta muito forte de algo na minha vida. Minha vida profissional desandou e eu me vi perdendo meus sonhos e mais sozinha que nunca. Eu sentia como se meu espírito tivesse se quebrado em vários pedacinhos.

IMGL4406

Entretanto, nesse período aprendi muito sobre mim mesma. Também posso dizer que foi me perdendo completamente que acabei me achando. Eu achei minha vocação profissional e pessoal e vou batalhar por ela. Vai me tomar uns 3 anos, mas vai valer super a pena! No entanto, ainda precisava me reconectar comigo mesma, porque algo ainda não me parecia certo aqui dentro.

Sempre tive um sonho bem utópico de um mundo menos violento onde as pessoas são mais honestas e boas e vivem em harmonia entre si, com a natureza e com os animais. Eu não suporto sofrimento alheio, seja de quem ou qual espécie for… eu prezo uma vida mais natural e mais presente… eu prezo uma alimentação saudável… e foi pensando nisso tudo que percebi como estava sendo hipócrita.

“We must be the change we wish to see” – Mahatma Gandhi

Significa que devemos ser a mudança que desejamos ver. Então, sim… eu estava sendo bem hipócrita ao manter meus maus hábitos em todos os setores. Meu lado espiritual havia definhado, eu estava mantendo uma dieta ovolactovegetariana com muitos doces e comidas não saudáveis e abuso de energéticos nos dois últimos dois meses enquanto flertava escondido com o veganismo, minha yoga caiu muito e pequenos problemas de saúde começaram realmente a dar nos nervos. Eu estava detestando a pessoa que havia me tornado… aquela não era eu…

Eu queria e precisava mudar… queria voltar a minha essência e realmente ser a mudança que desejo ver. Pensei muito sobre como fazer essa mudança, porque para mim, ir devagar em transições, não funciona porque eu sempre caio em tentação. É começar uma dieta e não resistir a comer aquela delicinha ou aquele pedaço extra “só hoje”… comigo tem que ser ou vai ou racha (ou algo assim).

Foi então que pesquisei sobre detox e como eu poderia dar uma espécie de reboot pro meu corpo, mente e espírito. Acabei encontrando o chamado Master Cleanse, em português traduzido pobremente como “dieta do limão”. Para mim isso não é dieta… me soa muito como um semi jejum, já que por 10 dias (tem gente que faz por 40 dias) a pessoa só pode tomar uma limoranada especial lá, chá de hortelã caso queira algo diferente, uma limpeza interna matinal com uma solução salina e um chá laxativo de noite para manter os movimentos intestinais diariamente para auxiliar na desintoxicação (e acreditem, faz toda diferença).

Achei a idéia perfeita em vários sentidos. Seria um período para meu corpo descansar o sistema gastrointestinal, eu ficaria longe das tentações e com isso desligaria os maus hábitos alimentares e usaria esse período para um foco mais interno e cuidados comigo mesma e com meu espírito. Uma amiga minha costuma jejuar religiosamente assim como muita gente nesse mundo o faz por diferentes motivos, pois bem, estou fazendo isso espiritualmente.

.:Curando meu universo interior:.

.:Estou curando meu universo interior:. (desenho por Chiara Bautista)

Terminei ontem a noite o 5o dia. E posso dizer que não foi tão difícil ou impossível quanto achei que seria (porque em verdade achei meio fácil, já que não passei exatamente fome), mas também não foi muito fácil no nível mental.

1o dia. Fiquei boba de ver como a lavagem com via solução salina funciona. Adorei… pena que beber aquilo é meio tenso. Mas tento não pensar e mando brasa. O difícil do primeiro dia foi a vontade de comer. Eu sou meio ansiosa e como emocionalmente. Isso é uma das coisas que estou mudando com esse detox. Então, a vontade de comer foi mesmo o pior, até porque na nossa sociedade privilegiada comemos mais do que precisamos. E também pegou para mim o medo de falhar. Eu detesto desistir, me sinto fracassada… detesto perder quando sei que poderia ter sido mais forte e “chegado lá”. Enfiei-me num grupo específico para esse detox no facebook e todo dia converso e posto lá meus medos, duvidas, etc… a galera se apoia e isso me ajudou horrores desde antes de eu começar.

2o dia. Ainda me sentia meio inchada, mas levando em consideração que minha menstruação desceu no primeiro dia não dava para esperar muita coisa. A vontade de comer e o medo de fracassar ainda pegavam, mas assim como no primeiro dia, fiz minhas orações e meditações, tentei um pouco de yoga e de noite precisei ir ao cinema para me distrair porque a ansiedade pegou. No cinema foi engraçado porque me senti meio cachorro. O meu olfato ficou absurdamente mais aguçado…  eu podia sentir o cheio de tudo e todos! Muito louco… Mas consegui superar e o dia 2 acabou sem escorregadas.

3o dia. Foi o dia mais foda no bom sentido! A minha meditação foi surreal de boa. Havia ANOS que eu não conseguia uma meditação daquelas! Até chorei de alegria! Não senti tentação, nem fome, nem ansiedade. Foi um dia tranquilo, com trabalho e uma dor de cabeça forte de noite que uma aspirina em pó bem diluída resolveu rapidinho.

A partir do 3o dia começei a me sentir mais centrada e em paz comigo mesma

A partir do 3o dia começei a me sentir mais centrada e em paz comigo mesma, e bonita mesmo sem maquiagem :p

4o dia. Foi meio como o terceiro dia. Tudo maravilhoso, sem tentações, nem medos, nem nada! De noite no trabalho uma dor de cabeça tão fraquinha que nem reparei quando ela sumiu do nada. Fiz uma boa yoga de noite e uma segunda meditação além da matinal que andei fazendo (isso fará parte da minha nova rotina).

5o dia. Acordei com fome. Acho que foi o dia que tive mais forme e isso foi porque estava meio despreparada. Ir ao mercado comprar mais limões me doeu… porque ver comida, biscoitos e outras coisas, nossa… dava vontade de comer tudo. Mas eu não quero mais ceder dessa forma, quero comer mais conscientemente. No meu facebook eu sigo vários grupos veganos agora e isso está me motivando muito a voltar a cozinhar e curtir esse lado… só que ver aqueles pratos deliciosos tá me tentando muito. Mas mesmo assim estou orgulhosa de dizer que terminei o 5o dia sem grandes problemas.

Me pesando agora em jejum no 6o dia, meu peso caiu em 2Kg (peso atual 61,5kg) e eu quero tentar manter o peso novo com meus novos hábitos saudáveis. Muita gente consegue, então espero que meu corpo se cure e mantenha o peso novo, porque desde que usei o anticoncepcional da última vez que não voltei ao meu peso normal de 57kgs (e não foi falta de exercícios).

Pessoalmente falando, eu me sinto muito mais feliz e firme nos meus propósitos e objetivos. Observei que nos últimos dias me sinto mais bonita, estou me amando mais e me curtindo mais. Andei me dando banhos de banheira quase todos os dias com uma música calma e velas aromáticas acesas… é meu spa de recomeço mesmo! Não estou poupando esforços em me mimar com formas que não sejam relacionadas com comida. Acredito que isso é um excelente modo para quem quer quebrar hábitos como comer emocionalmente.

Nos últimos dias observei que as pessoas estão se aproximando ainda mais de mim. Colegas do trabalho chegam junto para conversar, querem saber de mim, partilham mais sobre eles, etc… vejo isso como um reflexo da mudança que estou sentindo dentro de mim…

“We attract what we are”

Atraímos o que somos verdadeiramente e eu acredito nisso. Não adianta querermos atraír pessoas alegres e de bem nas nossas vidas e mentalizarmos o desejo, se no nosso dia a dia somos pessimitas ao extremo. Exemplo bobo, mas tá valendo.

Então é mais ou menos isso! Vou radicalizar esse blog sempre que der com a minha nova vida e minha verdadeira essência! Vou manter receitas não veganas que valem a pena para quem cute, mas colocarei alternativas veganas em breve. Posts sem fotos em breve terão fotos de quando eu testar ou re-testar as receitas. Sejam mais que bem vindos a comentarem alguma receita ou experiência!

Faltam mais 5 dias (contando com hoje) e me dá um medinho básico de falhar tão pertinho do final, mas irei como fui até agora: um dia de cada vez.

Essa pequena frase serve para praticamente qualquer desafio ou fase ruim em que estivermos. Ela me tira um pouco a ansiedade do futuro. O que é bom, porque é no presente que temos que viver!

E esse é outro ponto: eu não quero somente sobreviver, eu quero é viver mais!

E vamos que vamos! A  parte 2 desse post virá ao final desse meu semi-jejum de detox geral!

A cada dia pequenas mudanças…

Até o próximo post, galerinha! Com certeza receitinhas não testadas serão postadas nesse meio tempo! É com muito orgulho e carinho que termino esse post com um desejo de boas vibrações para todos!

Ciça Takarai

4856-2

Anúncios

Chocolate quente (vegan sem soja) e panqueca de arroz

Tags

, , , , , , , , , , ,

Nunca testei essas receitas…  assim que der virei atualizar. E desculpem, eu perdi a fonte das receitas…

Use o arroz integral para fazer um chocolate quente delicioso (o arroz polido comum não causa o mesmo encorpamento e sabor do integral).

Para fazer o chocolate quente:

1. Deixar de molho de um dia para o outro o arroz em água,

2. Depois bata no liquidificador até que desmanche um minutinho mais ou menos,

3. Coe e leve ao fogo e deixe encorpar, acrescente chocolate vegano ou cacau em pó e um tico de açúcar, acrescente um pouco de leite de coco e baunilha.

Pronto vc tem um chocolate quente extremamente delicioso! O que sobrar dos resíduos do arroz, faça uma panqueca acrescentando amido de milho ou semolina, óleo e açúcar, ou temperos e pimenta caso queira de sal.

Batatas doces mediterrâneas assadas

Tags

, , , , , ,

Receitinha simples! 5 min para preparar + 25min de cozimento. Acho que essa receita é perfeita para surpreender os convidados!

Assados de batata-doce coberto com grão de bico torrado, um simples molho de alho e ervas e uma salada de salsa e tomate. Delicioso, fresco, saudável, e, naturalmente, vegan e sem glúten. (yeahhhh!!)

AMAZING-30-minute-Dinner-Mediterranean-Baked-Sweet-Potatoes-vegan-glutenfree1

Autor: minimalista Baker
Tipo de Receita: Prato principal
Cozinha: Vegan, sem glúten, Mediterrâneo
Porções: 4

INGREDIENTES
4 batatas doces médias *
50g (em média, prepare mais por via das dúvidas) de grão de bico, lavado e escorrido
1/2 colher de sopa de azeite de oliva
1/2 colher de chá de (de cada): cominho, coentro, canela, fumado (ou regular) paprika

Opcional: Uma pitada de sal marinho ou suco de limão

ALHO molho de ervas:
1/4 xícara de hummus (ou tahine)
suco de 1/2 limão (~ 1 colher de sopa)
3/4 – 1 colher de chá de dill seco
3 dentes de alho picados
Água ou leite de amêndoa sem açúcar para diluir

Opcional: O sal do mar a gosto (se realmente precisar)

COBERTURAS: (Opcional)
1/4 xícara tomate cereja, cubos
1/4 xícara de salsa picada, picada
Suco de limão 2 colheres de sopa
Pimentão molho de alho

INSTRUÇÕES

1.Preaqueça o forno a 400 graus e cubra uma grande assadeira com papel alumínio.
2.Lave as batatas e as corte pela metade (via comprimento sábio). Isto irá acelerar o tempo de cozimento.
3.Misture o grão de bico lavado e escorrido com o azeite e as especiarias e coloque-os em uma assadeira revestida com alumínio.
4.Esfregue as batatas-doces com um pouco de azeite e coloque a face para baixo na mesma assadeira (ou de outra assadeira dependendo do tamanho).
5.Enquanto as batatas-doces e grão de bico assam, prepare o molho, adicionando todos os ingredientes em uma tigela e misturando bem. Só adicionar água ou leite o suficiente para diluir. Prove os temperos e ajuste conforme o necessário.

Prepare a cobertura de salsa e tomate. Misture o tomate e salsa com suco de limão e deixe de lado para marinar.

Uma vez que as batatas doces são são testadas por perfuramento com o garfo e o grãos de bico pelo dourar deles – em aproximadamente 25 minutos retire tudo do forno.

Para servir, vire as batatas com a face cortada para cima e e esmagar para baixo o interior um pouco *boa dica*. Em seguida, cubra com grão de bico,  molho, marinado de tomate e sirva imediatamente.

Pqp! Parece bom demais! Semana que vem farei para mim com certeza e virei eu mesma postar um comentário sobre! Quem fizer, venha comentar também!
Idéias secundários adicionais podem incluir Hummus, Pita Chips, Baba Ganoush, ou persa Berinjela. Divirta-se!

NOTAS

*Ajuste número de batata doce por pessoa, e comprar orgânicos quando possível para a melhor qualidade e sabor.

Informação Nutricional
Dose: 1 de 4 Calorias: 313 Gordura: 5g de gordura saturada: .7g Carboidratos: 60g de açúcar: 3,9 g Sódio: 82 mg Fibra: 11,7 g Proteínas: 8,6 g

Mediterranean-Baked-Sweet-Potatoes-A-healthy-30-minute-meal-thats-flavorful-and-filling-vegan-glutenfree

Pastinha (maionese) vegan – Vários sabores

Tags

, , , , , ,

Usa seus pães amanhecidos e não leva ovo!

É muito simples, basta colocar no liquidificador:

– 1 pão amanhecido sem casca picado grosseiramente;
– 1 colher (café) rasa de sal;
– 1/2 colher (café) de alho amassado (ou picadinho);
– 150 ml de leite de soja (ou outro vegetal de sabor de sua preferencia – se for leite de nozes, já n recomendaria o alho).

Bata bem e conforme for batendo, vá derramando um fio de óleo através da tampinha menor do liquidificador. Será usado mais ou menos 150 ml de azeite ou óleo de sua preferência (minha opinião é: quanto menos óleo nos alimentos melhor). Coloque o azeite lentamente até virar uma pasta bem firme.
Pronto, essa é uma pastinha básica, com um leve sabor de alho e você pode aromatizar como quiser, basta bater junto outros ingredientes.

Para a maionese verde acrescente: 1 colher (café) rasa de mostarda e 1 xícara de cebolinha verde picada grosseiramente e bata mais um pouco. Fica perfeita!!!
Rende mais ou menos 250ml de pasta.

Arrisque bater com azeitonas, ou manjericão com tomate seco, etc… invente e seja feliz!

Bon apetit para todos!

Sem fotos no momento… conseguirei uma assim que eu tiver um liquidificador! ehhehehe

Medalhão Vegan

Tags

, , , , , , ,

Essa receita peguei com a querida Talita Silva Xavier do grupo do Facebook Ogros Veganos. Parece uma obcenidade de gostoso! Mal posso esperar para fazer!!

Bon Apetit & boas vibes para todos!!

Preparo e ingredientes:

Prepare um grande um caldo de legumes – quase um sopão. Ela usou folha de alho poró, um pedacinho de pimentão, tomate, cebola, alho, cenoura, sal, shoyu e pimenta. Cozinhe tudo na panela de pressão por uns 5 minutos. Depois, bata no liquidificador e deixe lá na panela.

Bate no liquidificador até virar um creme: 
1 1/2 xícara de tofu firme
1/4 xícara de óleo
1/4 de xícara de shoyu
Pimenta, sal – e o que mais você achar bacana pra dar sabor (sem medo de ser feliz, galerinha! Vamos variar os temperos e fazer pratos de lamber os dedos!)

Coloque em uma tigela:
1 1/2 xícara de farinha de glúten
e mistura o creme de tofu
parece que vai dar errado? Parece, mas não desista. Vai amassando até virar uma bolota só.

Ai, deixa no formato que você quiser. Para os medalhões, a Talita fez dois rolinhos e cortou depois.

Cozinha na pressão por uns 20 minutos com o caldo de legumes. Depois, corta e doura numa frigideira, pode regar com o caldo enquanto doura – pra ficar mais suculento.

Pra fazer um frescurê, ela colocou umas lâminas de abobrinha grelhadas em volta dos medalhões antes de dourar.

-Pra acompanhar: molho de cogumelos super simples:
doura os cogumelos na frigideira ainda suja dos medalhões. Aí, coloca o mesmo caldo de legumes e um tiquinho de farinha. Termina com pimenta e noz moscada.

Dicas:
-Acho que ele funciona bem como um lombo, a textura lembra bastante, então, ó, dica pro natal.
-É bom lembrar que a massa cresce na panela de pressão.Então, leva isso em consideração na hora de moldar.

Kitchari para Vata-Kapha (aumenta um pouco Pitta)

Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , ,

Por me sentir completamente sem energia e fora de sintonia, andei avaliando os motivos de eu não estar conseguindo perder o peso que ganhei quando usei anticoncepcional. Estou fazendo um teste ao seguir uma alimentação praticamente vegana mas com alguns focos na Ayurveda. Eu sou Vata e Kapha e quando reli sobre meus doshas vi que estou completamente fora de equilíbrio.

O Kitchari é um prato geralmente tridosha, esse aqui eu alterei para as minhas necessidades pessoais, ou seja, para balancear vata e kapha e aumentar pitta. É uma refeição leve que auxilia na eliminação de toxinas. Como esse não é um post sobre como comer, como desintoxicar e etc, vou seguir logo para a receitinha.

Ingredientes (as quantidades variam de acordo com a quantidade a ser preparada):

– Arroz Basmati

– Feijão Mungo (Mung Dahl our lentilha partida)

– Cenoura picada em cubos

– 1 cebola pequena picada

– Gengibre picado (mais ou menos 1colher de sopa ou sobremesa)

– 2 dentes de alho picados

– pimenta do reino (preta)

– ½ a 1 colher de chá de cúrcuma (açafrão da terra)

– Curry

– 1 folha de louro

– 1 colher de chá de Ghee *se não tiver, use de manteiga mesmo, o ideal é que seja o mínimo para quem está com desordem em kapha (para uma opcao vegana, descartar o ghee)

– 1 cc ou pitada de caldo de legumes em pó

– Sal (no meu caso, o ideal é nem usar, mas você pode acrescentar um pouquinho)

Preparo:

1. Deixe o arroz e o feijão de molho por uma hora em água morna (a proporção volume e peso foi quase de 1:1, coloquei um pouco a mais de feijão que arroz)

2. Refogue a cebola e alho picados com o ghee até que comecem a cheirar. Acrescente o gengibre e mexa. Depois acrescente o arroz e o feijão e refogue tudo junto (adicionar água quente se comecar a grudar na panela).

3. adicione a folha de louro, a pimenta do reino (a gosto), o curry (a gosto), a cúrcuma, a pitadinha de caldo de legumes, o sal e mexa. Adicione água até cobrir tudo e mexa bem.

4. Adicione a cenoura picada (eu não tinha outros vegetais em casa no dia para usar, mas basta adicionar qualquer outro legume que favoreça os doshas em desequilíbrio).

5. Deixe cozinhar em fogo baixo até a água secar e prove para ver se o arroz e o feijão mungo estão macios. Caso não estejam, acrescentar mais água quente e repetir o processo.

6. nomm nommm nommmm nooommmmmmmm!!!

2014-11-14 14.25.56

Gostei muito (apesar de sentir falta do sal – fazer o que,  ne?), mas quero explorar novos temperos para variar o sabor. Desde que começei os testes com uma alimentação para equilibrar meus doshas eu me sinto absurdamente melhor em N sentindos.

Aprovou a receitinha? Conte como foi!

Boas vibes para todos!!

Pães chips crocantes

Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Essa receitinha aqui aprendi com minha amiga Ju. São pãezinhos quase crocantes (as vezes ficam mais, outras menos)…

Aqui é a minha versão vegana! quebrei em pedacinhos...

Aqui é a minha versão vegana! quebrei em pedacinhos…

Ingredientes:

– Farinha (gosto de misturar branca com integral, pode-se acrescentar outros tipos de farinha tbm)

– Sementes e grãos variados (abóbora, girassol, linhaça, gergelim, etc…)

– Azeite

– Sal à gosto

– Pimenta do reino à gosto

– Água

Preparo:

Acho legal sempre ter um vidro fechado com a mistura seca da farinha e sementes já misturados… assim facilita mto num momento de pressa.

Coloque numa vasilha 1 a 2 xícaras da mistura seca de farinha e sementes e acrescente um pouco de azeite (n coloque demais, vc n quer deixar seu lanchinho gorduroso, 1CS deve dar), sal, pimenta e água e misture. Vá acrescentando água sem medo de ser feliz até a massa ficar com uma consistência mole como a de um bolo. Recomendo acender o forno no início do processo porque realmente fica pronto rapidinho…. Numa forma grande retangular de bolo coloque uma folha de papel manteiga e despeje a massa e espalhe delicadamente com uma colher ou espátula pelo papel. O ideal é que a camada de massa n fique mto espessa.

Leve ao forno até a massa secar e endurecer (uns 10 minutinhos…varia de forno pra forno). Retire do forno e corte os pedaços como na foto (aqui vc pode acrescentar tomates picados, pedaços de queijo como a minha amiga fez, ou qq outra coisa que lhe pareça interessante) e leve novamente ao forno por uns 5-10 minutos para a massa terminar de secar (pq assim ela fica levemente crocante). Retire do forno e espere esfriar um pouco antes de tentar soltar do papel manteiga (qto mais frio mais fácil de soltar).

Caem bem com um bom vinho, como acompanhamento de sopa, como lanchinho rápido… até mesmo como uma massa exotica de pizza (eu pessoalmente fiquei fascinada por pizza sem queijo – Pizza Brot como dizem aqui na Alemanha – muito mais leve e vc foca no tempero!

Gostaram? Voltem para contar como as de vcs ficaram!

Bon Apetit!!

Aqui é a minha versão vegana! quebrei em pedacinhos...

Aqui é a minha versão vegana! quebrei em pedacinhos…

1. A massa está seca

1. A massa está seca

Observe que embora meio seca, a massa ainda esta meio mole.

Observe que embora meio seca, a massa ainda esta meio mole.

 

Corte a massa antes de levar de volta ao forno

Corte a massa antes de levar de volta ao forno

Já pronto...

Já pronto…

 

Quando fizer a receitinha de novo tirarei fotos melhores... prometo!

Quando fizer a receitinha de novo tirarei fotos melhores… prometo!

Hamburguer de grão de bico

Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Resolvi preparar uns hamburgueres nutritivos e sem tanta química e conservantes para quando não tiver muito tempo ou disposição para cozinhar ter algo pratico e saudável no congelador. Receitinha fácil de fazer e ficou uma delícia, bem levinho e com ótimas fontes de proteínas.

Ingredientes:

– 2 e 1/2 xíc. de grão de bico cozido (cozinhei com um pouco de sal e uma folha de louro)

– 3 dentes de alho

– 1/2 cebola grande

– 1/2 cenoura grande (pode colocar espinafre picado ou brocolis se quiser incrementar)

– 1 CS de farinha de linhaça dourada

– 1/2 CS de azeite para refogar (os tarados por azeite podem colocar mais, mas eu evito encher meus pratos de gorduras – mesmo as saudáveis)

– pimenta à gosto

– sal à gosto

– 1 CS de extrato de proteína de soja

– 1/2 xícara de germem de trigo

(Para variar o sabor dos hamburgueres, trocar os temperos por outros de seu gosto pessoal)

Preparo: 

1. Colocar o grão de bico já cozido numa centrifuga e deixar bater até que vire uma massa. Colocar água se necessário, mas evite colocar demais para não ter que acrescentar farinha extra para dar liga (coisa que nem usei na receita porque não precisou). Se não tiver centrífuga, pode usar um socador e amassar bem, ou bater no liquidificador (mas aí vai entrar muita água para vc não destruir seu aparelho). Reserve a massa/farofa úmida de grão de bico numa vasilha grande.

2. Pique, rale ou triture na centrifuga a cebola, alho e cenoura (e brocolis ou espinafre se for adicioná-los) e refogue numa panela com o azeite, sal e pimenta. Adicione um pouquinho de água para não secar demais. Quando estiverem bem macios apague acrescente o germen de trigo, a linhaça e a proteína de soja. Se precisar, adicione mais um pouquinho de água para não secar demais (deve ficar úmido e não seco, então é pouca água mesmo). Refogue só por um ou dois minutos, apague o fogo e misture-os com a massa de grão de bico.

3. Após misturar tudo bem na vasilha você já pode moldar os hamburgueres (a liga deve estar boa). Se por acaso tiver adicionado muita água e a massa não tiver liga, você pode acrescentar farinha de trigo (normal ou integral) ou mais germem de trigo até que tenha uma consistencia boa para moldar tudo.

4. Separe em bolinhas de aproximadamente 1/2 xícara de volume (foi como eu fiz para terem mais ou menos o mesmo tamanho) e amasse as bolinhas para formar os hamburgueres. Você pode untá-los em farinha de trigo ou germem de trigo (foi o que fiz) antes de levá-los à geladeira ou congelador.

Rende 9 hamburgueres.

Bon apetit

O hamburguer ficou bem delicado (ou eu que sou meio bruta mesmo, rs), mas quem quiser um hamburguer mais firme, basta acrescentar um pouco de agua ou leite de soja e farinha para dar a liga. Lembre-se só de temperar bem.

2013-11-30 14.03.56

Porque vegetarianos/veganos só comem alface… ¬¬ cof cof

Tags

, , , , , , , , ,

As pessoas adoram criticar quem não segue o padrão comum.Hamburger vegano de cogumelos com salada de grãos organicos

No caso, eu como uma pessoa veggie sou constantemente alvo de piadinhas (muito sem graças e nada originais, diga-se de passagem) de quem não entende (ou parece não entender) meu estilo de vida/alimentar. É tão chato as vezes que fico me sentindo inadequada, mas isso é errado. Cada um é cada um e ponto final. Eu não imponho meus hábitos alimentares a ninguém, não critico, nem fico fazendo propagando. Sou apenas eu.

Claro, quando eu cozinho para amigos e visitas eu quero fazer algo veggie delicioso para mostrar que se come bem mesmo quem exclui os derivados de animais do prato. E geralmente o pessoal gosta bastante. Meu padrasto não curte soja e ama um bife e etc… mas as vezes ele vem de ratinho querendo pegar um pouco do que preparo porque ele gosta. 🙂

Vegetarianos e veganos não comem só alface. Em verdade, não lembro da última vez que comi um, ahuahuahuah.

Em verdade, eu só fiz esse post aqui para mostrar esse delicioso prato que comi com minha irmã outro dia. Hamburguer de cogumelos (acho que ganhei vida nova, rs) com uma salada de grãos orgânicos que é dos deuses! Eu preciso muito muito mesmo conseguir fazer essa receita em casa.

Bem, veggie abraços para todos!

Tem receitinha chegando aqui daqui a pouco!

Namaste

2013-11-23 13.15.37

Com o molho (que infelizmente não lembro de que é) ficou ainda melhor! ;3

Barrinhas de grão de bico (fonte de proteína)

Tags

, , , , , , , , , , ,

Fiz essa receita inspirada numa torta que minha mãe faz, só que com muitas adaptações. O grão de bico tem uma boa quantidade de proteínas, então é ótimo para vegetarianos num geral.

Fácil de fazer e fica uma delicia!

Super curti essa doidera e estou me segurando para não comer o resto. Receitinha ótima para lanches ou café da manhã !

Ah, as barrinhas são macias, leves (pro estômago) e delicadas. Não ficam duras como uma torrada, por exemplo. Bem, talvez se deixar tempo demais no forno, mas não recomendo o teste. Assim fica perfeito

Ingredientes:

1/2 pacote de Grão de bico (dá uns 250g aprox)
Sal a gosto
2 CS de farinha de trigo integral
1 pitada de açúcar

image

Preparo:

Cozinhe o grão de bico com um pouco de sal numa panela de pressão até que amoleça bem. Escorra a água e bata num processador (ou liquidificador, se o seu for forte – ou amasse com o garfo o melhor que conseguir) até que vire uma massa. Passe a massa para uma vasilha e acrescente as duas colheres de farinha de trigo integral, a pitada (pode ser generosa) de açúcar e mais sal se achar que precisa. Não recomendo que deixe a massa salgada demais. Ela deve ser um meio termo para que vc possa escolher o topping dela sem medo de ser feliz. A massa fica bem firme (tanto é que usei as mãos para trabalhar).
Unte um tabuleiro de bolo com óleo e farinha e cubra a superfície com o auxílio de uma colher ou espátula.
Leve ao forno médio por 20-25min.
Corte a massa em retangulos ou quadrados e pronto.

Aí é só escolher o que vai em cima: geléias, frutas, mistura de vegetais salgada, pure de abóbora, etc… use a criatividade.

image

Comi uma com goiabada derretida. Ficou obceno de delicioso!

Bon apetit para todos!

Namaste

image